Livro Inteligência
Sobre o Autor
Conteúdo
Comentários/Leitores
Trechos do Livro
Frases citadas
Bibliografia
Discussões
Compre aqui!
Inteligência
Seja você mesmo!
Desprograme-se!
Sensação de vazio?
Pensar profundo
Tergiversações
Filosofadas
Seja punk
Q.I. 180 pontos
Amplie seu Q.I.
Efeitos paralelos
Sábias conversas
Inglês autodidata
O fluxo do tempo
Caminhos do Sucesso
Solidão
Arrogância
É a vida curta?
Referência
Diário da estrada
Textos de Everton
Ufologia
Sobre o autor

Everton Spolaor
Sou um simples mortal que cultiva o constante aprimoramento do intelecto e que se esforça para tornar este mundo um pouco melhor. Seja bem vindo ao meu website.
Fontes de Inspiração:
Emerson, Einstein, Krishnamurti, Charles Darwin, Thoreau

O fenômeno UFO: Além do tabu e da ignorância.
Everton Spolaor - setembro de 2011

"Toda verdade passa por três estágios. Primeiro, ela é ridicularizada. Segundo, ela é violentamente combatida. E terceiro, é aceita como verdade" [Arthur Schopenhauer]

Você não acha estranho o fato de que de vez em quando aparecem luzes estranhas nas mais variadas partes de nosso planeta, mas a mídia costuma fazer piada sobre isto? Milhões de pessoas, nos mais diferentes pontos do planeta, têm visto estranhos objetos e luzes cujas características não se enquadram em nada daquilo que nos é conhecido. A mídia, estranhamente, não divulga tais casos. Mas quando alguém filma uma luz no céu que pode ser facilmente identificada como um balão ou pipa, então a televisão faz questão de exibir estas imagens para "provar" que os OVNIs não passam de uma brincadeira, de uma fraude. O povo, em sua ignorância e total alienação, toma isto como verdade e passa a acreditar que OVNIs são bobagens. Veja:

- Você acredita em disco voador?
- Estás de brincadeira, né?
- Acreditas mesmo nestas bobagens?

Estas são apenas algumas dentre as diversas perguntas tolas e infames que certas pessoas fazem a mim toda vez que comento que estou pesquisando o fenômeno UFO (ou OVNI, de Objetos Voadores Não Identificados).

Impressiona aqui o fato de que certas pessoas acreditam fervorosamente em anjos, em deuses, em santos, em filhos de Deus que faziam milagres e ressuscitavam, em poderes divinos e em outras fantasias que só existem na imaginação e no mundo das ilusões, mas duvidam com igual fervor da possibilidade de existir vida inteligente em outro planeta, ideia esta que é sustentada cientificamente. É uma total fuga da lógica, do bom senso.

Pois bem. Os OVNIs existem, são reais e há décadas vêm sendo monitorados e registrados em documentos oficiais elaborados por autoridades científicas, governamentais e militares de diversos países. Por todo o mundo, os governos gastam bilhões de dólares investigando a natureza destes fenômenos. Assim, é demonstração de extrema ignorância afirmar simplesmente que "OVNI não existe". E pior faz quem afirma algo como "eu não acredito em OVNIs". Ora, acreditar é coisa para religião. Os OVNIs são fenômenos físicos, reais, e eles continuarão a existir independentemente do fato de você acreditar neles ou não.
Demonstrarei, a seguir, de onde vem esta minha convicção.
[Continua abaixo]





Aprenda a pensar como os gênios!

INTELIGÊNCIA: Caminhos para a Plenitude
Desenvolva uma mente mais criativa

Um livro destinado às pessoas que desejam ampliar aquilo que a Natureza, em sua intangível sabedoria, nos concedeu de mais valioso: o poder de pensar.






Alienação

É lamentável ter que constatar diariamente a imensa ignorância em que a sociedade, de uma forma geral, está imersa. Veja, há uma gigantesca legião de homens e mulheres que acreditam piamente que a mídia está constantemente nos suprindo de informações verdadeiras. Todo homem de mentalidade leviana costuma acreditar que está sempre muito bem informado sobre tudo o que acontece no mundo e que se algo estranho estivesse acontecendo, a televisão já o teria informado.

Vivemos dias televisivos, de apelo ao irracional, em que a boa lógica não vale um vintém. As pessoas aceitam sem titubear nem pensar qualquer despautério que emane do vídeo ou que esteja impresso. O que a imprensa afirma ou reproduz, o animal midiático engole e digere.

Assim, caso você tenha real interesse em saber o que existe de verdade neste polêmico tema, acompanhe-me em minha análise.

Vejam, é fácil perceber que uma nuvem de incultura está descendo sobre as cidades e contaminando as conversações cotidianas. Há pessoas que acreditam que entendem de clonagem, só porque viram alguma coisa sobre isto na novela das oito. Há ainda os beócios que citam o Fantástico como fonte de seus conhecimentos. Há milhares de pessoas no mundo todo, discutindo seriamente, como se história fosse, uma ficção intitulada Código da Vinci. E não falta quem se considere muito culto, só porque leu as tolices de Paulo Coelho ou alguns escritos de Saramago. Os jornais, em suas chamadas, noticiam os eventos fictícios de uma novela ao lado dos fatos do mundo real. É como se a leitura tivesse sido jogada a um museu de curiosidades históricas e a única fonte de informação contemporânea fosse a telinha da TV.

Este tipo de atitude passiva, de tomar como verdade somente aquilo que é direcionado às massas, nada mais é senão uma imensa e deplorável alienação. É triste, mas vivemos em um mundo repleto de pessoas alienadas e ignorantes.

Certa vez um pensador disse que quanto menor é a inteligência de uma pessoa, menos misteriosa lhe parece a vida.

De fato, todo tolo satisfaz sua curiosidade com qualquer explicação pífia e desprovida de embasamento que encontrar pela frente. Para o tolo, é satisfatório explicar um fenômeno qualquer através de falácias e argumentos infantis como "isso não existe, porque eu nunca vi", ou então "isto é assim porque Deus fez assim", ou ainda "eu vi no programa da Hebe que isso tudo é bobagem".

Há pessoas que assinam alguma revista de assuntos variados (Veja, Época e similares) e assistem fielmente ao noticiário da televisão, e isto já lhes é suficiente para sentirem que estão muito bem informados sobre tudo o que acontece ao seu redor. Esquecem-se que a mídia busca o lucro, e que para alcançar este lucro ela precisa atender àquilo que as massas mais gostam. E as massas gostam de futilidades. Futebol, novelas, politicagens, tragédias, falar da vida alheia. Ninguém quer saber se existe gelo em uma lua de Júpiter. Ninguém está interessado em saber de onde surgiu o código binário ou o que é a teoria da do universo holográfico.

Investigando o fenômeno

No início deste texto afirmei que os OVNIs existem, são reais e há décadas vêm sendo monitorados e registrados em documentos oficiais elaborados por autoridades científicas, governamentais e militares de diversos países.

Faço esta afirmação com plena convicção porque, ao contrário do que fazem as pessoas alienadas, que acreditam somente naquilo que os outros dizem para ela acreditar, eu prefiro investigar por conta própria um assunto sobre o qual tenho interesse. Não sou de acatar facilmente a opinião alheia. Sempre que me interesso por um assunto novo, procuro investigar a maior quantidade de fontes possível, identificando e contatando as pessoas envolvidas, estabelecendo relações, analisando diferentes pontos de vista, observando detalhes etc.

Sempre que me interesso por um assunto novo, faço de tudo para ter condições de ter uma opinião decente a respeito. Se não conheço um determinado tema e alguém perguntar o que penso sobre ele, direi simplesmente que não penso nada, porque não sei nada.

Certa vez eu tinha uma coleção de aproximadamente 3 mil latinhas de cerveja, organizadas em várias prateleiras na parede de casa. Havia latinhas de todos os tipos, tamanhos e origens. Algumas eram de países que já nem existem mais, como a Tchecoslováquia. Outras exibiam nomes estranhos que estavam relacionados ao tipo de cerveja, como stout, pale, ale, pilsen, bock, weizen etc. Minha curiosidade fez com que eu comprasse alguns livros sobre cerveja, e então entendi o que eram todos aqueles nomes. Mas eu não achei suficiente apenas ler o que as outras pessoas escreveram sobre a cerveja. Queria criar meu próprio conhecimento. Então comprei cinco quilos de cevada, lúpulo e malte, e depois de muitas horas e muita sujeira, fiz minha própria cerveja em casa. Agora sim, eu posso dizer que conheço alguma coisa sobre esta deliciosa bebida. Antes eu não sabia nada, agora sei um pouquinho e posso ter minha própria opinião.

Fiz exatamente a mesma coisa a respeito de um tema polêmico da modernidade: os discos voadores!

Calma, eu não construí um disco voador no porão de casa.


A origem de meu interesse

Em uma data esquecida do meu passado longínquo, há alguns milhões de anos, quando eu tinha em torno de 15 anos de idade, ou talvez um pouco menos, estava deitado na minha cama quando, ao olhar pela janela do quarto, vi algo tão estranho que me fez dar um pulo. Sobre um prédio distante, uma luz imensa estava se movendo vagarosamente, da esquerda para a direita. A princípio pensei tratar-se de um helicóptero, mas subitamente aquela luz fez um movimento extremamente rápido e irregular, coisa que se fosse feita com um helicóptero ou avião, transformaria seus ocupantes em recheio de lasanha.

Pensei comigo mesmo: “Putz que pariu, o que diachos era aquilo?”. A tal luz então voltou para a esquerda e sumiu no horizonte com uma velocidade impressionante. Imediatamente, para tentar entender o que tinha cabado de ver, avaliei mentalmente todas as possibilidades: meteoro, avião militar, balão, foguete, superman, mulher maravilha, homem aranha com uma lanterna na mão, relâmpago, canhão de luz apontado para uma nuvem, gás do pântano, holofote dos thundercats, alucinação, imaginação, sujeira no olho, vaga-lume mutante gigante, planeta, nuvem lenticular, assombração, pipa com lamparinas voadoras, satélite, aeromodelo controlado por controle remoto, passarinhos voando em grupo com tinta luminescente no corpo, Drácula, dirigível da Good Year, cabeça da Carla Perez (vive nas nuvens), gnomo voador, bruxa com vassoura tunada, papai Noel, disco de pagode sendo incendiado e lançado ao espaço por um metaleiro revoltado, miragem... Enfim, nenhuma destas possibilidades parecia se encaixar no que eu havia visto. Então, só sobrou uma explicação: seres alienígenas!

Pensei comigo mesmo:

“Nossa, será que aquilo era um dos tais discos voadores que alguns malucos dizem ter visto por aí? Vixe! Então não é mentira... que loko!”

No dia seguinte, e durante vários anos, coloquei-me a pesquisar o máximo possível sobre a possibilidade de um ser pensante que vive em outro planeta viajar até a Terra para atrapalhar o sono das pessoas que estão com a janela aberta, olhando para as estrelas. Será que é possível? Existem outros mundos habitados lá fora? E essas histórias que contam por aí? Será que é tudo alucinação e mentira de gente doida que só quer aparecer? Ou existe algum fundo de verdade nestes relatos?

Ao longo de vários anos eu pesquisei este tema. Conheci muita gente maluca, místicos idiotas, pesquisadores independentes sérios, outros nada sérios, gente com imaginação fértil que produz tresloucadas histórias sobre sondas espectrais, sobre seres feitos de plasma que enviam mensagens telepáticas e mais uma vasta série de estranhas entidades. Acampei no topo de morros para observar o céu à noite, troquei correspondências com astronautas da NASA, com astrônomos de diversos países, com físicos, com entusiastas do que chamam de ufologia, com fanáticos que tratam o assunto como uma religião... Li dezenas de livros, documentos da aeronáutica, do exército, da ONU e de diversos órgãos governamentais, Assisti a uma variedade enorme de vídeos, vi uma enorme coleção de fotos de supostas naves... Enfim, me aprofundei neste assunto e hoje posso dizer que conheço um pouquinho sobre a possibilidade de o nosso planeta ter sido visitado por seres de outros mundos. Agora o mano aqui vai compartilhar, com quem quiser, o que descobriu nestas aventuras todas.


Há muitos anos pesquiso, à minha maneira, estes estranhos eventos que são testemunhados nos mais diversos pontos de nosso planeta. Já conversei com militares, pilotos de aviões, cientistas, astrônomos, ufólogos, físicos, pessoas céticas e até mesmo com astronautas. Hoje em dia é muito fácil manter contato com pessoas de qualquer parte da Terra. Assim, já que tenho hoje acumulada uma vasta quantidade de informações sobre este assunto, achei que seria útil compartilhá-la com outras pessoas. Criei então esta página para este fim.

Meu propósito é expor alguns elementos que sirvam como forte evidência de que o fenômeno UFO é real. Começarei expondo detalhes de um evento bastante curioso ocorrido no final de 1980 na Inglaterra e que ficou conhecido como “o incidente na floresta de Rendlesham”.

Mas antes, uma palavrinha sobre o que exatamente constitui um UFO, ou OVNI.

O que é um UFO?

UFO é a sigla para Unidentified Flying Object. Também é conhecido como UAP, de Unidentified Aerial Phenomena, ou em português, OVNI, de Objeto Voador Não Identificado.

Ao contrário do que aparece na mídia, um UFO não é uma nave de outro mundo. Afinal de contas, se fosse uma nave chamariam de nave, não de UFO. Um UFO não é um disco voador. Afinal de contas, se eu jogar ao ar o meu prato de feijão, ele não deixa de ser um disco voador. Um UFO é exatamente o que o nome diz: um objeto voador não identificado. Ou seja, qualquer luz ou objeto que aparecer no céu e cujas características sejam tão estranhas que não seja possível saber o que diabos é aquilo, constitui um UFO. Assim, se por exemplo uma pessoa fabricar um balão bem esquisito e ornamentá-lo com foguetes e luzes fosforescentes, é possível que, ao vê-lo de longe, uma pessoa não saiba o que é aquela luz estranha cintilando no céu. Se esta pessoa não sabe que aquela luz estranha é um balão, então ela pode dizer que viu um UFO. Neste exemplo, no entanto, o movimento do balão não seria diferente do movimento típico de qualquer outro balão, e um investigador poderia afirmar que a hipótese mais provável para esta aparição é justamente a de tratar-se de um balão. Por outro lado, de vez em quando aparecem no céu algumas luzes e objetos tão estranhos que não podem ser um balão, nem avião, nem helicóptero, pipa, meteoro, foguete ou qualquer outra coisa conhecida. E são justamente estas aparições que levantam a hipótese de que tais objetos sejam de origem extraterrestre. Afinal de contas, nenhum balão voa a 10.000 km/h (e nem mesmo aviões conseguem esta proeza). Balões e aviões não aceleram de zero a 1000 km/h em poucos segundos.

E são justamente estes tipos de aparições – os UFOs que não se encaixam em nenhuma explicação terrestre – que constituem o alvo de minhas investigações.

Nos próximos dias estarei atualizando esta página com documentos, fotos e arquivos que trarão uma maior clareza sobre este intrigante tema.

Um abraço!

Everton Spolaor

Vídeos relacionados:

UFO triangular avistado na Bélgica na década de 1990.



Belgium UFO Wave



Operação Prato. Investigação de OVNIs pela Força Aérea Brasileira.





Comentários dos visitantes

From: "Bruno Cesar" [brunocsar@hotmail.com]
Date: Sat, November 1, 2008 5:18 am

Já tem um tempo que venho pensando sinceramente na possibilidade de vida inteligente fora da Terra. Na realidade já me convenci por conta própria. Tô cansado de ser como os outros e ir acreditando pelo o que Jornal Nacional e o Fantástico dizem, que é o que exatamente o que a maioria da população faz. Todos tem uma opinião baseado no sensocomum. Acredito fielmente que a NASA esconde muita coisa. E como não vai parar na mídia, as pessoas só acreditam nas noticias que são vomitadas para elas.

From: "imari" [imariwaltz@yahoo.com.br]
Date: Tue, July 14, 2009 7:26 pm

Tenho certeza de vidas em outros planetas ou galáxias, mas visitas de extraterrestres, sómente quando nos concientizar-mos de que somos ainda selvagens e rebeldes, extraterrestres talvez já conhecem nosso comportamento como seres humanos, e tem medo de um contato, pois entre nós existem pessoas capazes de destruir seu próprio planeta, com fumaças tóxicas, extermínios de pássaros, sujeiras e venenos nos mares e praias, matando seus semelhantes sem mais nem menos, isto realmente me faz crer que se fosse eu um extraterrestre, tentaria exterminar os terraqueos e não visita-los.

From: "imari" [imariwaltz@yahoo.com.br]
Date: Tue, July 14, 2009 7:07 pm

Jamais desacreditei em vidas em outros planetas ou galáxias, pois á terra não sendo o maior deles, e sabendo que nenhuma viagem se aproximou dos outros maiores, e muito menos em outras galáxias, fica aí minha dúvida,quem pode garantir que somos os unicos neste mundão lindo criado por um ser que chamamos de DEUS.
Tenho certeza que ainda teremos visitas com contatos extraterrestres, pena que eu já tenha viajado talvez para o outro lado da vida.
OBS.Mas gostaria muito que este contato fosse comigo, e que fosse amigável.

From: "imari" [imariwaltz@yahoo.com.br]
Date: Tue, July 14, 2009 7:26 pm

Tenho certeza de vidas em outros planetas ou galáxias, mas visitas de extraterrestres, sómente quando nos concientizar-mos de que somos ainda selvagens e rebeldes, extraterrestres talvez já conhecem nosso comportamento como seres humanos, e tem medo de um contato, pois entre nós existem pessoas capazes de destruir seu próprio planeta, com fumaças tóxicas, extermínios de pássaros, sujeiras e venenos nos mares e praias, matando seus semelhantes sem mais nem menos, isto realmente me faz crer que se fosse eu um extraterrestre, tentaria exterminar os terraqueos e não visita-los.



Comente este texto:

Para comentar o texto, preencha o formulário abaixo:

    Seu nome :
    Seu email :
    Comentário:




Conheça o meu primeiro livro:

INTELIGÊNCIA:
Caminhos para a Plenitude
Desenvolva uma mente mais criativa

Um livro destinado às pessoas que desejam ampliar aquilo que a Natureza, em sua intangível sabedoria, nos concedeu de mais valioso: o poder de pensar.

Se tivesse que escolher um único elemento que viesse a ser distribuído entre todos os homens, eu não escolheria dinheiro, nem amores e nem mesmo saúde. Desejaria que o homem tivesse uma maior inteligência. É certo que o mundo seria muito mais justo e que a vida se desenrolaria com uma qualidade superior se nos relacionássemos com pessoas mais cultas, mais sábias.


Gostou deste site?

Copyright 2007 by Everton Spolaor
www.sombrasdarealidade.com.br


Início || Contato com o autor: evertonlspolaor@yahoo.com.br