• INTELIGÊNCIA
  • PUBLICAÇÕES
  • PENSAMENTOS
  • INQUIETUDE
  • O AUTOR
  • DEPOIMENTOS
  • COMPRAR

  • Visite e curta nossa página no Facebook


    A Arte pedida de CONVERSAR
    Conversar é entender o outro.

    Conversar é uma arte que parece estar cada vez mais fora de moda.
    Poucas pessoas percebem, mas existe uma diferença fundamental entre falar e conversar.

    Falar é a coisa mais fácil do mundo. Tanto é que qualquer criancinha recém saída das fraldas aprende facilmente a falar. Mas CONVERSAR é coisa mais nobre, mais complexa. Envolve elementos mais importantes da sociabilidade, como a capacidade de ouvir, entender, refletir e, principalmente, de considerar respeitosamente o que o outro está dizendo.




    Hoje em dia as pessoas não conversam; elas apenas falam.
    Eu tenho percebido que, quase sempre que as pessoas se encontram, dá-se início a uma espécie de competição, na qual cada pessoa deve dizer o que fez de interessante, o que comprou, por onde viajou e o que viu, sem levar em conta o que a outra pessoa está dizendo. Quem falar coisas mais valiosas, vence. Eu não sei se você já percebeu, mas enquanto uma pessoa está falando algo, a outra já está torcendo para que ela acabe logo, para poder contar algo de si mesma. É como se cada um acreditasse que tem algo mais interessante a dizer.

    Você já percebeu isso?

    Em geral não percebemos que as conversas estão tomando este rumo, pois vivemos distraídos com nossas tarefas e nossa falta de tempo.

    Existe um provérbio chinês que diz que "conversar à mesa com uma pessoa sábia vale um mês de estudo de livros".

    Mas isso era lá na China antiga, é claro.
    Porque hoje em dia parece que o ato de conversar é tão somente um refúgio das pessoas sem imaginação, que não se interessam pelas experiências dos outros. Querem apenas uma oportunidade para descontrair e contar aos outros algo que viram na televisão, algo sobre si mesmas ou sobre a vida alheia. Elas querem falar, não conversar.

    Mas o que é, então, uma conversa verdadeira?

    Para mim, uma conversa só é viva quando há troca de pensamentos, quando há ressonância de ideias, quando uma pessoa diz um argumento e a outra ouve, entende, complementa tal argumento e reage de acordo com o teor do que foi falado. Quando isso não ocorre, quando as conversas se resumem a uma simples listagem de acontecimentos, temos uma conversa morta.

    Não sei se você me entendeu. Por isso vou dar um exemplo. Veja:

    Você diz: "Nossa... hoje eu quase atropelei uma pessoa.".
    E então a outra pessoa responde "Ah... isso é um perigo... uma vez eu também quase atropelei um pedestre porque ele blá blá blá..."

    Você vê o que estou a dizer? Você acaba de relatar que quase atropelou alguém, e a pessoa não quis saber de nada deste evento. Ela ignora o que você diz, e dá uma versão dela mesma, sobre algo relacionado a acidentes, como se a vida e as experiências dela fossem muito mais interessantes. O resultado de conversas assim geralmente é a frustração ou o vazio.

    Por isso, avalie como você se comporta em uma conversa. E ao invés de tentar impressionar a outra pessoa com suas façanhas, conquistas e experiências, querendo demonstrar o quanto você é viajado, inteligente e rico, experimente escutar o que ela diz, complementando com perguntas como:

  • E então, o que houve?
  • Como assim?
  • E o que você fez?
  • Sério? Como foi isso?

    Evidentemente, você deve demonstrar um sincero interesse. Porque de nada adianta você dizer "que interessante" se a sua cara parece a de quem está entediado como o assunto.

    Experimente agir assim, e você irá se surpreender com o resultado.

    Hoje em dia é difícil encontrar alguém que saiba pensar e que demonstre sincero interesse em uma conversa respeitável e agradável.

    Ocorre, porém, que se é verdade que é difícil encontrar pessoas com boas conversas, também é verdade que as coisas mais fantásticas e valiosas deste mundo são justamente as mais raras.

    Isso me fez lembrar de que ao nosso redor existem pessoas que nos inspiram, e outras que nos drenam. Daí a importância de escolhermos nossas amizades com sabedoria.

    Assim, na próxima vez que você estiver em uma roda de amigos, avalie se as ideias estão em sintonia ou se estão em conflito.

    Quando fazemos uma corda de violão vibrar, imediatamente todas as outras vibram também, pois estão em ressonância, estão de certa forma conectadas umas às outras, mesmo sem se tocarem fisicamente. Busque, pois, uma conversa em que cada pessoa seja uma corda bem afinada. Pois sem afinação, não há melodia. E uma vida sem melodia é melancólica, entediante, sem graça.

    Busque, pois, uma conversa verdadeira e amigos verdadeiros.

    Grande abraço!

    Everton Spolaor


  • Curta minha página
    no Facebook:

    Curta a página de Everton Spolaor no Facebook


    Livro INTELIGÊNCIA
    Receba em sua casa.
    Frete grátis!
    Adquira um excelente
    livro por apenas
    R$ 30,00.



    INQUIETUDE
    Compre aqui o meu
    novo livro.




    Livro INTELIGÊNCIA
    Receba em sua casa.
    Frete grátis!
    Adquira um excelente
    livro por apenas
    R$ 30,00.



    Conheça meus livros

    Image 02

    Para mim, escrever envolve pensar, sentir, questionar e, principalmente, ouvir. Exploro nas palavras o inexorável universo das ideias vivas. Se você lê minhas palavras e as responde, mesmo que apenas em pensamento, eis que embora não nos conheçamos tramamos o tipo mais verdadeiro e louvável de comunicação.


    Comente este texto:

    Para comentar o texto, preencha o formulário abaixo:

      Seu nome :
      Seu email :
      Comentário:



    xxxxxxxxx

    Conheça o meu primeiro livro:

    INTELIGÊNCIA:
    Caminhos para a Plenitude
    Desenvolva uma mente mais criativa

    Muito além do Q.I., a verdadeira inteligência é aquela que dá ao homem o poder de modificar o ambiente através de idéias que foram formadas pelo livre pensamento e que não estão presas à pujança dos instintos animais. Através do encadeamento de idéias busquei elaborar uma obra espirituosa, objetiva e eficaz no sentido de despertar nas pessoas aquilo que a Natureza, em sua intangível sabedoria, nos concedeu de mais valioso: o poder de pensar.


    Gostou deste site?

    Copyright 2007 by Everton Spolaor
    www.sombrasdarealidade.com.br


    Início || Contato com o autor: evertonlspolaor@yahoo.com.br